sábado, 4 de fevereiro de 2012

Precisando muito de um tempo...


Olás gatinhas!
Quem acompanha meu blog desde o ano passado, lembra que 80% das minhas postagens foram reclamando do meu chefe, do meu emprego e da forma como eu sou tratada naquele "inferno". Pois bem, o motivo do meu sumiço dessa vez (outra vez! Sorry...) é que estou saindo de lá. Realmente a situação chegou a um ponto que eu simplesmente não consigo mais sair da minha cama e caminhar até aquele lugar infernal. Olhar prá cara daquela gente e principalmente daquele grosso.
Na primeira semana em que voltei a trabalhar, eu vi ele falando alguma coisa no ouvido de uma garota novata que ele já conhecia antes de ela começar a trabalhar lá. Eles riam e olhavam na minha direção. E ele me perguntou: "Não é?"
Eu não disse nada, nem sei como reagi, porque aquela situação de ter pessoas olhando prá você e rindo é muito constrangedora. Eu fiquei perdida, sem chão e tinha vontade de chorar, sair correndo. Parece exagero, mas é que eu já venho passando por isso há muito tempo e não estou tendo forças prá suportar nem prá lutar.
Cheguei na dona da empresa e pedi a ela que me despeça. Para que eu possa receber seguro-desemprego e ficar algum tempo em casa prá colocar a cabeça no lugar. Eu não disse prá ela o que está acontecendo de verdade...disse que estou doente e que não consigo trabalhar. Para confirmar o que eu disse a ela, eu comecei a faltar de serviço algumas vezes. Tem dias que eu vou de manhã e não volto depois do almoço, e tem dias que eu ligo pro escritório e digo que não vai dar prá ir. Digo que estou com cólica, vomitando, com dor de cabeça...cada vez uma desculpa. Ela aceitou me mandar embora e agora eu mal posso esperar que chegue logo o dia de sair de lá.
Minha cabeça está a mil e eu não tenho tido vontade prá nada. Estou miando descontroladamente, porque isso sempre acontece se eu fico nervosa ou choro demais.
Hoje eu tive uma vontade horrorosa de tomar sorvete. Decidi esquecer da Anna e me entregar, porque sabia que depois iria miar, e não tinha forças para lutar contra a maldita compulsão. Quando peguei a taça e sentei na frente do PC, comecei a chorar, coloquei o sorvete na boca e não consegui engolir. Chorei muito e meu corpo tentava miar, mas não tinha nada para "sair". Ainda bem que estava sozinha em casa, pois seria assustador para a minha mãe ver aquela cena.
Preciso do pensamento positivo de vocês para que eu consiga sair daquele inferno o mais rápido possível, antes que aquele lugar me mate, de verdade!

Muitos beijos, luz, e força para todas nós!!!